O “Pecado Original” da declaração conjunta do AIMI não foi perdoado pelo Fisco

A solução encontrada pela Autoridade tributária e que consta do Oficio circulado n.º 40115, de 31 de Agosto divulgado há dias no portal das finanças resolve apenas, parte do problema decorrente da tributação conjunta do AIMI pois respeita só aos casos de mero averbamento e de rectificação, na matriz predial, de que o imóvel é comum a ambos os cônjuges (ou unidos de facto), e não apenas de um deles.

O_pecado_original_da_declaracao_conjunta_do_AIMI_nao_foi_perdoado_pelo_Fisco_vff

Fonte: Rogério Fernandes Ferreira & Associados

%d bloggers like this: